18 de ago de 2010

BRIGA ENTRE JORNALISTA E CANDIDADO AO SENADO NO ACRE: QUAL SERÁ O PRÓXIMO ROUND?

A divulgação da fita com as imagens brutas da briga entre o apresentador Demóstenes Nascimento [TV5] e o candidato ao senado pelo PMDB, João Correia, prevista para esta semana, promete capítulos emocionantes na nova fase da campanha política que começa na próxima terça-feira (17) com o programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão.

Até agora, a coligação Produzir para Empregar não garantiu se vai ou não utilizar as imagens durante o horário eleitoral gratuito, mas a expectativa é que o candidato João Correia, ridicularizado pela edição apresentada até aqui pela equipe da TV 5, possa usar o horário disponível para, segundo ele, “repor a verdade.”

Somente a divulgação das imagens brutas vão provar que a agressão partiu dele – disse João Correia referindo-se a Demóstenes Nascimento.

A TV 5, embora tenha dito publicamente que não haveria problema em colocar no ar uma nova entrevista gravada com João Correia, ainda não marcou a data de gravação. O fato está sendo analisado pelo TRE/AC, com apoio da Policia Federal, órgãos que poderão ajudar a revelar dois questionamentos importantes: quem iniciou as agressões corporais e se a fita publicada no Youtube foi ou não editada.

Em desabafo, Demóstenes Nascimento [Dedé], falou como cidadão. O apresentador do programa TV 5 Notícias pediu desculpas aos telespectadores, a equipe de trabalho e anunciantes do programa.

- Vocês sabem que toda ação provoca uma reação. Eu fui agredido em minha integridade moral e física dentro do meu ambiente de trabalho, que também eu tenho como minha casa – disse o apresentador.

Dedé disse que estava triste com o envolvimento do Governo do Estado no caso e citou a situação vivida pelos pais, com mais de 80 anos de idade, que segundo o jornalista, estão sofrendo com a ampla publicação do episódio.

- Tem muita gente tentando tirar proveito político da situação, se passando como um cordeiro e que na realidade foi o causador de todo o problema. Ser humano nenhum agüenta ser tão humilhado por uma pessoa desqualificada envolvida em escândalos nacionais – acrescentou.

Para Demóstenes, as imagens não foram alteradas e não metem. Dedé disse que o caso está no departamento jurídico e que para a emissora a página do episódio foi virada.

Durante a semana, os candidatos Edvaldo Magalhães (PCdoB) e Jorge Viana (PT), em entrevistas concedidas para outras emissoras, se solidarizaram com o jornalista.

Petecão (PMN), candidato ao senado pela Coligação de João Correia, saiu em defesa do companheiro de chapa, assim como o deputado estadual Luiz Calixto (PSL) e demais parlamentares da base de oposição que protestaram contra Demóstenes.

Pelo visto, essa será uma novela que promete longos capítulos, pois envolve além de um candidato e um jornalista, um advogado e presidente da OAB.

Episódio não é o primeiro que envolve TV 5 e políticos

Esse escândalo entre o jornalista Demóstenes Nascimento e o candidato ao senado João Correia não é o primeiro que envolve a emissora repetidora da Rede Bandeirantes no Acre e políticos acreanos.

Em maio de 2009, o jornalista Washington Aquino, ancora da TV 5, foi tirado do ar, segundo o JPS-ACRE 23, “por exigências contratuais feitas pelo Governo da Floresta”, que se sentiu “anarquizado” pelo jornalista.

Aquino já havia sido demitido da Rádio Difusora Acreana. Na época fez duras críticas contra administração penitenciária que tinha à frente, Laura Okamura, hoje secretária de Ação Social do governo Binho.

Na TV 5, as criticas que derrubaram o apresentador Washington Aquino do programa Bom dia Cidade, estavam relacionadas sobre o desvio de mais de 1 milhão e 200 mil reais através da folha de pagamento da Policia Militar do Acre, que tem à frente o Cel. Romário Célio.

O Escândalo do Iate – Viagem de Luxo

Em outro episódio até hoje não esclarecido a opinião pública e acontecido em janeiro de 2008, uma fita bruta contendo todas as imagens da “Expedição Juruá Sempre” foi esbarrar na TV Acre [Retransmissora da Rede Globo], que divulgou imagens de farras promovidas por alguns parlamentares durante a viagem.

De acordo com publicação postada no Blog do presidente da Assembléia, deputado Edvaldo Magalhães, do dia 27 de fevereiro de 2008, conforme escreveu o deputado Luiz Calixto (PSL), “o presidente da OAB, Florindo Poersh, que também é advogado da TV 5, sabe-se lá como, conseguiu a fita bruta das filmagens e a repassou para a TV Globo, que selecionou as partes que quis e partiu para tentar desmoralizar o sentido da expedição.

O escândalo teve repercussão nacional. A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Acre, através de Florindo Poersch, protocolou na Assembléia Legislativa do Acre, um pedido de esclarecimentos sobre a viagem. Na época, em entrevista à imprensa, o presidente da OAB disse: "Se for caracterizado algo ilícito, providenciaremos uma ação para devolução do dinheiro."

Entre as imagens marcantes publicadas pela imprensa, o mergulho da ex-deputada Naluh Gouveia nas barrentas águas do rio Juruá foi reprisado diversas vezes. Hoje, a ex-deputada e militante do PT é conselheira do Tribunal de Contas do Estado.

O fato culminou com as férias antecipadas e posterior afastamento da TV 5 do jornalista e apresentador Leônidas Badaró e do repórter cinematográfico Beto Oliveira.

Segundo nota publicada no Blog Imprensa em Foco, “os repórteres Beto Oliveira e Leônidas Badaró, que por determinação da direção da TV5 acompanharam o trajeto da viagem [Expedição Juruá Sempre] para cobertura jornalística, foram colocado sob suspeição na liberação das imagens da expedição para matéria do Jornal Nacional”

Em nota de repúdio, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre (Sinjac) manifestou publicamente solidariedade aos repórteres Leônidas Badaró e Beto Oliveira afirmando: “O Sinjac, por meio desta, esclarece à população que os jornalistas presentes naquela empreitada estavam autorizados por suas respectivas empresas a participarem do evento”, assinou Marcos Vicentti Batista da Silva.

Pedro Neves, Superintendente do Complexo de Comunicação, negou que as fitas publicadas no Jornal Nacional tenham sido repassadas pela TV 5.

Embora os fatos envolvessem dois profissionais do meio, a imprensa não deu acompanhamento as investigações. Mesmo diante de toda indignação e de toda repercussão nacional, com a OAB no caso, até hoje os fatos não foram esclarecidos. Nem o Ministério Público Estadual, nem a própria Ordem dos Advogados e a Assembléia Legislativa do Acre, explicaram a sociedade o que ficou caracterizado.

O Porto que seria construído na cidade de Boca do Acre (AM), uma das justificativas da Expedição, também não saiu do papel. Os debates sistemáticos sobre a construção de hidrovias parece ter ficado ofuscado com os escândalos. A instalação do porto era para embarque e desembarque de mercadorias e tinha como meta facilitar o comércio de insumos como o cimento venezuelano.

Jairo Carioca – Da Redação de ac24horas