30 de dez de 2010

Feliz Ano Novo!


"Que as realizações alcançadas este ano, sejam apenas sementes plantadas, que serão colhidas com maior sucesso no ano vindouro."

Feliz Ano Novo!


Feliz Ano Novo
Imagens e recados para Orkut no Glimboo!

29 de dez de 2010

A FORÇA POLÍTICA DO MOSQUITO

Escrito por Luiz Calixto | 29 Dezembro 2010 

Resistente, perverso e mutante, o mosquito da dengue, com suas potentes e certeiras lanças de dores nos ossos e queimaduras febris, já levou à cama  milhares de riobranquenses.
À óbito, por hemorragia, dezenas.
Por mais de 4 anos o mosquito sobrevoou o gabinete do secretário Pascal Kalil para apeá-lo do poder, não pelos sintomas da doença, mas por absoluta incompetência.
Reunindo apoio político mais resistente que as larvas geradas pela coligação do Aedes aegypti, Pascal, às duras penas, vegetou no cargo.
Nesta semana, o secretário não resistiu ao nocaute aplicado pelos milhares de casos notificados e beijou a lona.

A FORÇA POLÍTICA DO MOSQUITO

Escrito por Luiz Calixto | 29 Dezembro 2010 

Resistente, perverso e mutante, o mosquito da dengue, com suas potentes e certeiras lanças de dores nos ossos e queimaduras febris, já levou à cama  milhares de riobranquenses.
À óbito, por hemorragia, dezenas.
Por mais de 4 anos o mosquito sobrevoou o gabinete do secretário Pascal Kalil para apeá-lo do poder, não pelos sintomas da doença, mas por absoluta incompetência.
Reunindo apoio político mais resistente que as larvas geradas pela coligação do Aedes aegypti, Pascal, às duras penas, vegetou no cargo.
Nesta semana, o secretário não resistiu ao nocaute aplicado pelos milhares de casos notificados e beijou a lona.

A FORÇA POLÍTICA DO MOSQUITO

Escrito por Luiz Calixto | 29 Dezembro 2010 

Resistente, perverso e mutante, o mosquito da dengue, com suas potentes e certeiras lanças de dores nos ossos e queimaduras febris, já levou à cama  milhares de riobranquenses.
À óbito, por hemorragia, dezenas.
Por mais de 4 anos o mosquito sobrevoou o gabinete do secretário Pascal Kalil para apeá-lo do poder, não pelos sintomas da doença, mas por absoluta incompetência.
Reunindo apoio político mais resistente que as larvas geradas pela coligação do Aedes aegypti, Pascal, às duras penas, vegetou no cargo.
Nesta semana, o secretário não resistiu ao nocaute aplicado pelos milhares de casos notificados e beijou a lona.

A FORÇA POLÍTICA DO MOSQUITO

Escrito por Luiz Calixto | 29 Dezembro 2010 

Resistente, perverso e mutante, o mosquito da dengue, com suas potentes e certeiras lanças de dores nos ossos e queimaduras febris, já levou à cama  milhares de riobranquenses.
À óbito, por hemorragia, dezenas.
Por mais de 4 anos o mosquito sobrevoou o gabinete do secretário Pascal Kalil para apeá-lo do poder, não pelos sintomas da doença, mas por absoluta incompetência.
Reunindo apoio político mais resistente que as larvas geradas pela coligação do Aedes aegypti, Pascal, às duras penas, vegetou no cargo.
Nesta semana, o secretário não resistiu ao nocaute aplicado pelos milhares de casos notificados e beijou a lona.

ABRE A PORTA, DILMINHA


Escrito por Luiz Calixto | 26 Dezembro 2010

Da coluna do Claudio Humberto

20 de dez de 2010

CORTE RASO

Escrito por Luiz Calixto | 20 Dezembro 2010

altAs perspectivas não são em nada alvissareiras  para turma do andar de baixo.
Para tapar o rombo e ajustar as contas, a tesoura afiada do governador vai cortar, de cara, boa parte dos GTs ( grupos de trabalho), 80 DAS e 800 funções gratificadas.
Como ¨bocado comido é bocado esquecido¨, a galera que se segurou no pau das bandeiras petistas sob sol escaldante nas esquinas da cidade, na esperança de permancer no emprego, está em polvorosa.
A situação das finanças do estado é desoladora.
Gastaram muito e o  crescimento das receitas não aguentou e nem acompanhou o ritmo alucinado das despesas.

SE A MODA PEGA, O HEDISLANDE VAI FATURAR

19 de dez de 2010

TRISTE PARTIDA

Escrito por Luiz Calixto | 17 Dezembro 2010 

altMelancólico este final de governo de Binho Marques.
Depois de falhar no cumprimento de suas principais promessas de campanha, o governador assiste passivamente sua gestão atolar-se, mais ainda, na lama movediça da corrupção.
A BR-364 não foi emendada, a sociedade não foi emponderada e os números dos indicadores sócio-econômicos desfilam nos últimos lugares.
Deus foi culpado pelo atraso da BR, o empoderamento se resumiu à distribuição aleatória de recursos públicos para associações e sindicatos companheiros e o melhor lugar para se viver tem endereço na centena de outdoors espalhados pela cidade.
Por fim, os petistas estão se descabelando com a descoberta do rombo fenomenal de 7,  ou 9 milhões  como falam, do dinheiro que SUS que bem aplicado poderia encurtar  a fila da morte do TFD.
Mais um pouco os camburões da polícia federal serão acionados.
Em 1º de janeiro, da escada do avião, o governador dará uma ¨banana¨ para os acreanos e irá curtir sua aposentadoria , que foi reajustada  para  26 mil reais.

14 de dez de 2010

CÂMARA ELEGE NOVA MESA DIRETORA PARA O BIÊNIO 2011/2012



Edmar é o novo Presidente da CMT
Estando a maioria do Vereadores desta Casa Legislativa presentes na Sessão Ordinária de hoje dia 14/12/2010 compôs-se democraticamente a Mesa Diretora para o próximo biênio 2011/2012. Os Vereadores presentes foram Raimundo Furtado, Ezi Aragão, Lulu Nery, Roberto Freire, Edmar Rodrigues e Valdor do Ó.

Como estavam presentes a maioria (2/3), portanto dentro da legalidade regimental, a Mesa ficou definida assim:

Presidente – Edmar Rodrigues de Lima
Vice-Presidente – Valdozinho Vieira do Ó
1º Secretário – Ezi Aragão do Nascimento Aragão
2º Secretário – Luzivaldo de Jesus Araújo (Lulu Nery), como é mais conhecido.

Edmar Rodrigues usou a Tribuna e teceu elogios a todos os que direta e indiretamente o ajudaram a ser o novo Presidente desta Casa.

Finalizou oferecendo votos de um Feliz Natal e um Próspero ano de 2011 a todos os munícipes de Tarauacá.

WWW.CAMARATARAUACA.COM.BR

13 de dez de 2010

PEGA NA MENTIRA, CORTA O RABO DELA.


Quando a mentira vira deboche!
Por Edinei Muniz

A imagem abaixo é uma das muitas espalhadas pelo governo do Acre para debochar e brincar com a inteligência do povo acreano.
Se fiz a leitura correta da imagem, ela tenta dizer mais ou menos assim: o Acre é o paraíso dos empregos, por isso é o melhor lugar para se viver na Amazônia.

Ofendido pela mentira, recorri ao CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados -, órgão ligado ao Ministério do Trabalho, e que, sem dúvidas, representa a base de dados mais segura do país quando o assunto são os empregos formais (com carteira assinada).
Os números revelam o seguinte: de janeiro de 2007 a outubro de 2010, a variação absoluta no nível de empregos formais no Acre foi de, acreditem, míseros 5,1%. O desempenho do Acre, repondo a verdade, é bem inferior ao da maioria dos estados da Região Norte.

Ora, se o Acre é o melhor lugar da Amazônia para se viver, é, também, o pior para arranjar emprego e, como uma coisa puxa a outra, o resto o amigo leitor já sabe.

6 de dez de 2010

PROPAGANDA ENGANOSA

Escrito por Luiz Calixto | 06 Dezembro 2010 

alt

Nem precisava o governo gastar uma fortuna em out door para dizer que o Acre " é o melhor lugar para se viver".
Disso todo mundo sabe.
Como diz a música popular " daqui não saio, daqui ninguém me tira".
Entretanto, a promessa do senhor governador Binho Marques não era assim,  digamos, tão genérica.
O compromisso firmado com o povo acreano  era de tornar o Estado no lugar onde os indicadores sócio-econômicos fossem os melhores da região norte.
Em 12 anos de gestões petistas, continuamos no "rabagéssimo" lugar em quase tudo.
É no Acre onde se encontra o maior número de pobres, o maior percentual de famílias em situação de insegurança alimentar, a mortalidade infantil é vergonhosa, o analfabetismo idem; a menor taxa de geração de emprego e a maior incidência de crianças morrendo de infecções e diarréia estão aos nossos olhos.
Sobre a produção agrícola e indistrial é desnecessário escrever.
Esperto, o governo se abraça covardemente numa frase com a qual 10 entre 10 acreanos concordam, para esconder-se do fracasso.

2 de dez de 2010

Realismo Socialista Parte X - Há o que comemorar?

Em 2007 comemorou- se o aniversário de 90 anos da Revolução Russa de 1917 e 40 anos da morte de Che Guevara na Bolívia. Os mitos e o idealismo dessas datas camuflam a mais assustadora criminalidade do século XX. 
Poder-se-ia dizer que o comunismo foi a pior e mais destruidora tragédia da história humana. Em números de mortos, supera o nazismo e demais guerras mundiais somadas. O golpe de Estado bolchevique de 1917 foi o prenúncio da devastação de um país: a Rússia no começo do século XX era um das nações mais ricas do mundo. Ao contrário da mitologia esquerdista, possuía um dos mais audaciosos sistemas de educação pública da época e ainda uma das maiores frotas comerciais do mundo. Um pouco antes da revolução, 50% da população russa já era alfabetizada, graças às reformas de Alexandre II, o mesmo que libertou os servos em 1861. Embora no país predominasse a população agrária, essa característica não era em si comum à Rússia, mas a vários países da Europa; a industrialização, financiada pelo capital francês, inglês, alemão e nacional, fazia germinar um país moderno e empresarial. Por outro lado, a Rússia era uma das maiores produtoras de cereais e alimentos do mundo, tendo seu recorde de safra em 1913, cálculo jamais superado pelo regime comunista. Há de conjecturar que, embora houvesse a cultura autocrática e repressiva do czarismo, a sociedade russa conheceu um esplendor intelectual inimaginável, nas figuras de escritores como Dostoievski e Tolstoi e músicos como Tchaikovski e Rachmaninov, entre outros. Sem contar uma verdadeira elite de cientistas, educadores, matemáticos e biólogos, gerados por esse esplendor.
No entanto, em 1917, toda essa realidade mudou. O que poderia ser o destino de uma nação potencialmente próspera acabou caindo no pesadelo mais profundo do totalitarismo. O bolchevismo conseguiu destruir completamente uma sociedade constituída. 
Massacrou os quadros intelectuais, econômicos, políticos e militares mais significativos da sociedade russa. Impôs terror, violência e destruição em todas as esferas da vida social. E conseguiu arruinar completamente um país. Comerciantes, intelectuais, administradores, aristocratas, matemáticos, empresários, profissionais liberais, proprietários de terras, clerigos, quase todos foram aniquilados pelo terror vermelho. Quando esses grupos sociais deixaram de existir, o terror se generalizou entre os operários e camponeses, ora assassinados, ora reduzidos a mais completa tirania. A matança indiscriminada da população se associou a mais completa criminalização da vida social. Milhões de pessoas foram presas e deportadas para os campos de concentração na Sibéria e em outros locais da União Soviética. 
Na verdade, milhões de pessoas foram usadas como mão de obra escrava, para sustentar a inépcia econômica do regime. A indústria nascente russa foi destruída, e a coletivização, junto com o massacre de milhões de camponeses pela fome, escasseou e esgotou a produção de alimentos. A Rússia, que no inicio do século XX exportava alimentos, hoje é uma importadora de comida. Graças a Lênin, que matou cinco milhões de camponeses de fome. Graças a Stalin, que matou outros seis milhões e desestruturou a agricultura russa, tornando-a completamente inócua.
Mas o bolchevismo não foi apenas um sistema de criminalidade, terror e destruição inaudita do povo russo. Ele devastou o Leste Europeu e massacrou os melhores quadros intelectuais, econômicos e políticos dos países ocupados. Espalhou seu veneno pela Ásia, África e América Latina, com o preço de miséria, opressão e homicídios em escala demencial. Imbecilizou o povo, tornando-o servil ao Partido e à sua ideologia estéril e sufocante. Exterminou a liberdade civil e política dos povos. Insuflou guerras, caos e revolta por onde passou. E como um sistema imperialista, expandiu a dominação e impôs despotismos em qualquer lugar por onde se estabeleceu. Foi, em suma, uma ameaça à civilização e as suas liberdades, uma ameaça de levar o mundo no século XX ao reino das trevas.
Impressionante é presumir que uma ideologia tão destrutiva e tão inspiradora de genocídios seja algo a inspirar os intelectuais. De fato, o bolchevismo é uma ideologia de intelectuais radicais, uma idealização que sacrifica a realidade ao plano da loucura. O simulacro de sofisticação em Marx, Lênin, Engels, Rosa e seus congêneres mais vulgares, como Mao Tse Tung e adjacências, não sobrevive ao peso da realidade. Porém, a intelectualidade se corrompeu: o século XX foi o século da mentira, o século da mentira e cumplicidade dos intelectuais. Raramente se mentiu tanto pela ideologia. E o socialismo foi capaz de falsificar a história e a realidade pela ideologia. O mito em torno da Revolução Russa é um emaranhado de falsificações. Mentiras e mais mentiras repetidas a exaustão, até que se tornem verdades sacralizadas. Daí a entender a tamanha popularidade de mito, ainda que a realidade denuncie os piores crimes.
E Che? Che Guevara é produto dessa mentira histórica, dessa cumplicidade criminosa dos intelectuais do século XX. O mito Che não sobrevive à realidade; ele é o contrário daquilo que representa. Em nome da liberdade, foi um defensor das piores e mais criminosas ditaduras, criador de campos de concentração e trabalhos forçados em Cuba. Prócer do idealismo e da vida faustosa, não passava de um fanático e um assassino em massa, executor sumário de centenas de inocentes. E para aqueles que idealizam a paz mundial, era um homem que acreditava na violência como resposta para todos os problemas do mundo. Se o movimento terrorista, com sua crença fanática na destruição como resposta para tudo, surgiu no niilismo russo e instaurou sua ação política de Estado na Revolução Russa, Che Guevara é a personificação do Netchiaev, do espírito do terrorista russo no militante latino-americano. Já havia precedentes para isso: a revolução francesa já tinha inaugurado o terror do Estado revolucionário, na ação dos jacobinos e suas guilhotinas, esses bolcheviques de perucas. Todavia, o moderno “terrorismo de Estado”, em sua escala monumental de violência, por assim dizer, é uma inovação comunista, já que o movimento comunista é, por definição, um movimento terrorista dentro e fora do poder.
Países economicamente arruinados, miserabilizados, indigentes; povos bestializados na servidão, na mentira, na estupidez e na ignorância, vítimas de uma ideologia nauseante em todas as esferas intelectuais, políticas e culturais da sociedade; regimes tirânicos, policialescos, traiçoeiros, destruidores dos laços morais e espirituais de solidariedade humana, na delação, no medo e no terror; assassinatos, expurgos, deportações em massa e milhões de cadáveres. Como diria um historiador, é o sacrifício do homem comum, verdadeiro, imperfeito, autêntico, pelo plastificado “homem novo” socialista, artificial, desumanizado, despersonalizado. Ou nas palavras de Nelson Rodrigues, uma “antipessoa”. No total, cem milhões de mortos em todo o mundo. Esse é o preço do comunismo em toda a história do século XX. Há o que comemorar? 
REALISMO SOCIALISTA

LOTEAMENTO

Escrito por Luiz Calixto | 02 Dezembro 2010 

A eleição da Mesa Diretora da Assembleia ainda dará muitas dores de cabeça a Tião Viana.
Ainda que sua base parlamentar seja extremamente obediente e sem topete para enfrentá-lo, a engenharia não deixa de ser complicada.
Ao todo são sete cargos para 18 pretendentes.
Nenhum deles abrirá mão da disputa sem antes ter uma "conversinha de pé de ouvido" com o governador para receber deste o pedido e, consequentemente, fazer outro.
No barato, a fatura desta eleição não sairá por menos de  50 DAS.

PELAS BEIRADAS

Escrito por Luiz Calixto | 01 Dezembro 2010

As fotos abaixo são do Parque Buritizal, em Feíjó.
Para animar o evento da inauguração o governo petista contratou a peso de ouro o "cantor nacional" Léo Magalhães.
A versão do jornalismo chapa branca mostra apenas a parte que interessa.
As beiradas, por onde os esgotos correm e contaminam, são escondidas.
Construído no entorno da antiga pista de pouso, esta fase da obra custou cerca de 3 milhões de reais e é apresentada pelos petista como o canal da maternidade dos feijoenses.
As fotos são do blog radiofmfeijo.