28 de fev de 2011

ESTÁ EXPLICADO OS CORTES NO ORÇAMENTO

Lula deixa para Dilma R$ 57,1 bi de restos a pagar

Esse é apenas um primeiro retrato do saldo das contas públicas deixado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva


Dilma recebeu de Lula uma conta de R$ 57,1 bi para pagar

Brasília - A presidente Dilma Rousseff herdou um volume recorde de contas a pagar do antecessor, que até aqui só recebeu elogios. As contas pendentes de pagamento só em investimentos somam R$ 57,1 bilhões de acordo com um primeiro retrato do saldo das contas públicas deixado no último dia de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Leia Mais

O saldo dos chamados “restos a pagar” representa um constrangimento para os gastos do primeiro ano de mandato de Dilma e deverá obrigar a equipe econômica a aumentar o tamanho dos cortes. O governo terá de optar entre quitar contas antigas ou pagar novas despesas autorizadas pelo Orçamento de 2011.

A alternativa será cancelar gastos contratados por Lula, mas isso não correrá por ora. O maior volume de contas pendentes de pagamentos está concentrado nos ministérios dos Transportes e das Cidades, tradicionalmente os que mais investem, seguidos pelos ministérios da Saúde, da Integração Nacional e da Educação.

Isoladamente, o programa de governo com mais contas pendentes é o de serviços urbanos de água e esgoto. Só as contas a pagar em investimentos representam mais de uma vez e meia o custo estimado do trem-bala entre Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro e supera quatro vezes a previsão de gastos do programa Bolsa Família em 2011. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


EXAME.COM

24 de fev de 2011

BOBINHOS

Escrito por Luiz Calixto | 23 Fevereiro 2011

Embora tenha gaiatos saindo pelo ladrão, na frente popular só tem menino ligeiro.
O mais tolo deles consegue beliscar azulejo.
Outros, mais espertos, além disso, pensam e  querem fazer o povo acreano de bobo.
Um descobriu que o STF, a instância máxima da justiça brasileira, reunirá sua Corte  para responder a requerimentos e  outro deseja a tramitação de um projeto de lei para legislar sobre aquilo que o povo acreno já decidiu ao votar contra o horário do Tião Viana.
Já disse aqui e repito: o momento da discussão entre o sim e o não  é fato consumado.
Agora é ver quem respeita e se submete à decisão soberana do povo acreano. 
O professor deles, Jorge Viana, especialista em rasteiras, quer a tramitação de uma nova lei para revogar a bobagem feita pelo seu irmão, como se o Referendo, legalmente aprovado e autorizado, não tivesse validade suprema.
O positivo dessa história é não restar mais dúvidas  de que a patota petista está à serviço da rede Globo.

21 de fev de 2011

Quase metade da população do Acre vive abaixo da linha da miséria, segundo MDS

AC 24 HS O ministério do Desenvolvimento Social- MDS divulgou na manhã desta sexta-feira, 18, um balanço do atendimento no programa Bolsa Família no país e trás um dado nada animador para o Acre.

O estado conta hoje, segundo último Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE, com 185. 759 domicílios e desses; 58.587 moram pessoas que estão abaixo da linha da pobreza e vivendo na mais absoluta miséria.

Todas essas famílias no Acre, tem renda mensal por integrante igual ou inferior a  R$ 140. Para suprir o impacto dessa desigualdade econômica e social no estado, o MDS deposita entre R$ 22 a R$ 200 em conta dos programas sociais do governo.

Proporcionalmente na Região Norte em número de habitantes por estado, as famílias acreanas são as que mais precisam da ajuda do governo federal para pôr um prato de comida na mesa.

Veja a tabela aqui

17 de fev de 2011

Prefeito de Tarauacá prepara pacote de obras para inauguração durante o aniversário da cidade

 

Tarauacá, terra da mulher bonita e do abacaxi grande (a 460 km de Rio Branco) estará completando no dia 24 de abril, 98 anos de fundação. A prefeitura do município já iniciou a elaboração da programação que vai de 20 a 24. As atividades em homenagem a data, vai iniciar com um dia de lazer no bairro Avelino Leal, conhecido por bairro Novo.

Na ocasião, o prefeito do município, Vando Torquarto entregará aos moradores daquele bairro, as obras de infra-estrutura como construção de galerias e bueiros, num total de 85 obras entre pavimentação de tijolos de todas as ruas do bairro novo, além da iluminação pública e também vai entrega dos títulos de cada terreno.

Outro bairro que foi beneficiado com pavimentação foi o bairro dos Borges, que há mais de 60 anos nunca teve uma rua sequer pavimentada, graças a Deus e ao esforço do prefeito Vando Torquato. Todas as ruas s estão pavimentadas, de acordo com o chefe do executivo municipal, dão acesso ao centro da cidade, facilitando o acesso dos moradores.

Além desses bairros, a Prefeitura também está trabalhando em toda a cidade – ou seja, beneficiando com pavimentação, serviços de limpeza, abertura de ruas, coleta de lixo e serviços de roçagem. A Prefeitura utiliza nessas frentes de serviços, 20 trabalhadores braçais, além de 6 caminhões na coleta de lixo.

Segundo o prefeito Vando Torquato, o município de Tarauacá tem 80% de suas ruas pavimentadas entre tijolos e asfalto, sendo que 78 ruas são pavimentadas com tijolos e 5 com asfalto, totalizando 83. O prefeito disse ainda, que faltam apenas 6 quilômetros de ruas (faltando apenas 31 ruas) para serem pavimentadas, sendo que dessas 31 a prefeitura já iniciou a pavimentação de 3, que da acesso a Avenida Tancredo Neves. Torquato acrescentou que até o final de seu mandato, vai deixar toda cidade pavimentada.

Torquato frisou que outra obra de grande porte que vai ser inaugurada é a Avenida Modelo, onde cerca de 28 trabalhadores entre pedreiros, carpinteiros e serventes trabalham na obras para que até o dia 24 de abril, data em que se comemora o aniversário da cidade, esteja tudo pronto. O prefeito disse que esta obra será o cartão postal da cidade. Ele ainda acrescentou que para embelezar ainda mais a Avenida, está sendo construídos 4 portal, 6 quiosque, além de 60 postes e 40 bancos que está chegando de balsa de Porto Velho, a avenida vai receber uma iluminação toda especial.


Toda a programação será encerrada no dia 24 com a queima de fogos com duração de 20 minutos, na Praça Municipal, centro da cidade. Além de uma banda de renome nacional, estará se apresentando durante o encerramento do aniversário da cidade, bandas locais.

Blog do Chiquinho

15 de fev de 2011

Um ajuste rudimentar nas contas públicas



O corte no orçamento equivale a dizer que o governo anterior soltou as rédeas dos gastos

Já deixou de ser novidade: governos do PT sempre começam fazendo tudo ao contrário do que seus candidatos pregam em cima dos palanques. Com Dilma Rousseff não foi diferente. Na semana passada, a equipe econômica da presidente anunciou que fará o ajuste fiscal que ela, quando ainda estava em campanha, dizia ser to-tal-men-te desnecessário.

No mínimo, os cortes orçamentários agora anunciados – de R$ 50 bilhões, ou 0,6% do PIB – equivalem a admitir que o governo passado soltara, irresponsavelmente, as rédeas dos gastos. Dilma é fiadora direta desta má herança, por algumas razões.

Primeiro, como “gerente” da lojinha de Lula, não apenas deu carta branca para que os gastos decolassem, como também bombardeou iniciativas para freá-los: quem não se recorda de quando ela chamou de “rudimentar” o plano de Antonio Palocci para zerar o déficit num prazo de dez anos?

Segundo, porque Dilma deve sua eleição, em grande medida, à generosidade fiscal que marcou os dois últimos anos do governo passado. Em sua edição de ontem, O Globo mostrou que, já descontada a inflação do período, os gastos do governo federal cresceram R$ 282 bilhões ao longo dos anos Lula. Apenas entre 2006 e 2010, eles subiram R$ 212 bilhões. A conta da eleição de Dilma nos chega agora, amarga, na forma de arrocho e, pior ainda, inflação.

Só as despesas com pessoal aumentaram R$ 52 bilhões acima da inflação no segundo mandato de Lula. Agora, para tentar conter a pressão dos salários, a equipe econômica de Dilma anuncia que congelará a contratação de funcionários e a realização de concursos públicos – exatamente o que, sordidamente, acusava a oposição de planejar fazer. Nos cargos de confiança, porém, não se mexe, porque a companheirada não é de ferro…

Mas, entre a intenção de ajustar as contas e a prática, ainda vai longa distância. Ninguém sabe ao certo como o governo pretende executar o ajuste bilionário. Como tem nas costas um histórico de artimanhas e malabarismos contábeis, Guido Mantega não desponta como o melhor fiador de um compromisso desta magnitude.

Diante disso, é exagero ver nos cortes anunciados pela equipe econômica de Dilma Rousseff uma prova inconteste de austeridade dada pelo novo governo. O que existe até agora é uma mera carta de intenções. A prova dos nove ainda está por vir. Há quem diga que cortar apenas em custeio, como promete o governo, é matematicamente impraticável.

Excluindo despesas de custeio com educação, saúde e gastos sociais, o governo teria um bolo de R$ 53,7 bilhões de onde precisaria tirar os anunciados R$ 50 bilhões, calcula Mansueto Almeida, do Ipea. “Esqueçam o corte anunciado de R$ 50 bilhões concentrado apenas em custeio, sem sacrificar investimentos e gastos sociais. Simplesmente não é possível”, escreve.

Na sexta-feira, o Valor Econômico mostrou que os cortes anunciados apenas atenuam a tendência de alta dos gastos federais. Mesmo subtraindo os bilhões divulgados, as despesas federais subirão neste ano 3,7% acima da inflação, na comparação com 2010. Uma possibilidade de ajuste, comenta o jornal hoje, está no aumento de 0,5 ponto na carga tributária.

Como se vê, a lista de intenções anunciada pelo governo está longe de poder dar conta de esfriar a economia e conter a escalada inflacionária. Não são meros anúncios que conseguirão domar um fera cevada irresponsavelmente a pão de ló ao longo de anos. O que se viu até agora foi rudimentar.

Fonte: ITV – Carta de Formulação Política nº 185