27 de mai de 2010

Bocalon desafia o Estado abrir a “Caixa Preta”



O professor de matemática Sebastião Bocalom foi o primeiro dos pré-candidatos ao governo do Acre a ser sabatinado no quadro Boca no Microfone, quadro do programa Toque&Retoque, que é apresentado pelos jornalistas Eliane Sinhasique e Liano Jr, na Rádio Gazeta FM 93.3, na série de entrevistas que a emissora fará com os pré-candidatos.

Nascido no dia 8 de maio de 1953, do signo de touro, casado com Elizabeth Garcia Rodrigues, pai de 2 filhos e com 03 netos, durante uma hora [com intervalos comerciais], o tucano respondeu as perguntas feitas pelos jornalistas, que contaram ainda com a participação de internautas e ao telefone da emissora.

Bocalon disse que é preciso abrir a “Caixa Preta” do Estado para saber os impactos na folha de pagamento de mais de 6 mil cargos comissionados. O enxugamento da máquina administrativa é uma das principais metas do pré-candidato que prometeu ainda diminuir a carga tributária que incide sobre o valor da energia elétrica, liberdade de imprensa e melhorias nos setores de educação, segurança pública e saúde.

Confira os principais trechos da entrevista.

Modelo Econômico do Estado

- O modelo da florestania não melhorou a qualidade de vida da população, em 1999 existiam 28 mil famílias abaixo da linha de pobreza, hoje ultrapassa 62 mil famílias. Isso prova de que esse modelo não gerou os empregos necessários. Naquele momento foram prometidos 40 mil e tínhamos 50 mil desempregados, hoje temos mais de 150 mil. Continuamos importando a nossa comida de fora do Acre, gerando emprego lá fora. O modelo que ai está, depois de todo dinheiro repassado desde a época do Fernando Henrique Cardoso e dos empréstimos não impulsionaram na melhoria de qualidade de vida.

O novo projeto para o desenvolvimento do Acre

- Precisamos aproveitar as terras férteis para produzir alimentos. Acredito muito na nossa terra para implantar indústrias de alimentos e com isso gerar emprego e renda, mas acredito também na indústria de bovino de corte e de leite. Precisamos melhorar nossa produção de leite sem derrubar uma árvore, fazendo uma grande revolução na economia, tirando essa base no contracheque público. Uma vez eleito, a iniciativa privada é que vai gerar os empregos e as condições que o Estado precisa para se desenvolver.

O imposto de 25% cobrados na Energia Elétrica

- São mais de 25%. Na minha casa dá em torno de 36%. Energia Elétrica é um serviço fundamental e está muito cara, vamos fazer um estudo e reduzir essas taxas e fazê-la chegar com mais qualidade as casas de nossa população.

Segurança Pública

- Precisamos melhorar as condições de trabalho do nosso policial e fazer funcionar a Policia Técnica, o Serviço de Inteligência. Eles reclamam das condições mínimas de trabalho. No Acre não se faz nem o recolhimento de impressões digitais nas casas arrombadas pelos ladrões.

Concurso Público

- Não se trata aqui de dizer que vamos demitir os grupos de trabalho, mas precisamos garantir os direitos trabalhistas garantidos em lei para as pessoas que estão nas cooperativas. Mas o que não podemos ter é excesso de gente em áreas que servem como cabide de emprego. O nosso trabalhador precisa ter segurança. Se precisar contratar, nós vamos contratar, agora, precisamos conhecer melhor os números desse governo. O que mais critico é a falta de transparência nesse Estado.

Máquina administrativa

- Temos mais de 6 mil cargos comissionados nesse Estado, quer dizer, precisamos conhecer melhor os impactos dessas contratações na folha de pagamento. Vamos reduzir essa pressão à maquina administrativa. Tem cargos desses que daria para pagar 4 ou 5 funcionários. Precisamos abrir essa Caixa Preta. Não se sabe quantos comissionados são contratados nesse Estado! O que se sabe é que existe muito apadrinhamento para cargos comissionados e que falta dinheiro para pagar aumentos salariais ou cargos criados através de concursos públicos.

Saúde Pública

- É um problema de gestão. As reclamações no setor são feitas por mínimos detalhes. É a fila para se conseguir um exame, uma operação, coisas não admissíveis para um governo que propagou saúde de primeiro mundo. Estamos vendo no Acre gente morrer de malária, o avanço da hanseníase. Tem um funcionário meu que está indo embora do Acre porque não consegue fazer um exame há 90 dias. Em Rondônia ele fez os exames em dois dias. Na realidade o que acontece é uma falta de administração e estrutura. A questão de médico é seria porque se paga muito mal esses profissionais.

Como resolver os problemas da saúde

- Implantando verdadeiramente o Programa Saúde da Família, o trabalho de prevenção. É preciso que o Estado ajude os municípios a pagarem à carga de profissionais. Quando era prefeito, pagava R$ 6 mil reais e ainda dava casa para os médicos morarem. O Estado precisa fazer parcerias com os municípios e ajudar com a parte dele. Vamos fazer também o maior número de esgotamento sanitário porque isso é saúde.

Educação

- Vamos criar um Programa de Apoio Social em todas as escolas, ou seja, contratar psicólogos e assistentes sociais para minimizar os problemas enfrentados pelos professores nas salas de aulas com alunos que enfrentam problemas em casa e trazem para a escola, como a violência. Vamos oferecer melhores condições de trabalho aos professores, doar um computador e data show para que eles possam dar mais qualidade aos seus planos de aula. O professor não pode ser pauleira o tempo todo. 40% estão com estresse, e esse projeto vai ser forte para o professor trabalhar com mais qualidade. E vamos implantar uma Universidade Estadual no Acre.

Perfil Político

Tião Bocalon chegou ao Acre em 1986 para montar uma Serraria no Projeto Redenção, hoje Acrelândia. Foi prefeito do Município de Acrelândia de 1993 à 1996, de 2001 à 2004. Bocalon também foi Secretário de Agricultura e Pecuária no governo de Jorge Viana de 1989 à 2000, no Governo de Jorge Viana. É professor de matemática concursado e trabalha em Acrelândia.

Próximos entrevistados:

Amanhã (27), será a vez do pré-candidato pelo PMDB, Rodrigo Pinto ser sabatinado pelos apresentadores. Na sexta-feira, está confirmada a participação do pré-candidato Tião Viana, da Frente Popular do Acre.

Jairo Carioca – Da Redação de ac24horas
Js.carioca@hotmail.com